Skip Navigation Links
Início
Contactos
Câmara de Cantanhede aprovou voto de pesar pelo falecimento da obstetra Maria da Luz Pessoa
Câmara de Cantanhede aprovou voto de pesar pelo falecimento da obstetra Maria da Luz Pessoa
A Câmara Municipal de Cantanhede aprovou na reunião de 2 de julho, por unanimidade, um voto de pesar pelo falecimento, no dia 15 de junho, a médica obstetra Maria da Luz Conceição Ribeiro Pessoa, invocando para o efeito “o grande legado que deixa ao nível da medicina/obstetrícia e o seu exemplo de humanismo e cidadania, bem como a sua inexcedível dedicação profissional em benefício dos socialmente mais fragilizados e desprotegidos”.

O texto refere que, “além de ter provocado um misto de consternação e tristeza, a morte de Maria da Luz Conceição Ribeiro Pessoa representa uma enorme perda para o concelho de Cantanhede, deixando um sentimento geral de profunda gratidão pelo modo absolutamente exemplar como serviu a comunidade e as pessoas, sem outro interesse que não fosse o de cumprir com a maior elevação e rigor as exigências éticas e deontológicas da sua profissão. Na simplicidade e no recato, mas sempre solícita, foi uma vida plenamente realizada, cumprida, uma vida cheia em favor dos outros”.

No voto de pesar pode ler-se que a obstetra se destacou pela “nobreza de carácter, exemplo de generosidade e de entrega altruística à causa da medicina e de modo particular à causa da vida, tendo evidenciado grande coragem e determinação nas lutas em que se envolveu para garantir a promoção da dignidade humana. Sempre com brio profissional, com um espírito de maternal bondade, acolheu, aconselhou, serviu, acompanhou e ajudou inúmeras mulheres do concelho de Cantanhede a darem à luz os seus filhos”.

Maria da Luz Conceição Ribeiro Pessoa nasceu em Penafiel em 1933 e iniciou os seus estudos em medicina na Faculdade de Medicina do Porto, mas viria a concluir o curso na Universidade de Coimbra, em 1955, ano em que passou a residir na Pocariça, de onde era natural o seu marido.

Em novembro de 1970 especializou-se em Obstetrícia, no Instituto Maternal, hoje Maternidade Bissaya Barreto, e foi docente assistente de obstetrícia na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, mas a partir de 1974 dedicou-se inteiramente à carreira hospitalar.

De 1972 a 1983 assegurou consultas da sua área de especialização nos serviços Médico-Sociais e de 1972 a 1976 deu assistência e apoio à maternidade do Hospital de Cantanhede.

Granjeou o respeito e a admiração dos alunos e seus pares, quer enquanto docente quer enquanto médica, sendo uma referência incontornável na área da obstetrícia. Mulher de cultura e de grande sensibilidade no relacionamento humano, distinguiu-se também na procura de novos caminhos na sua área de especialização, na organização da prestação dos serviços e no apoio à maternidade e à vida nascente, tendo visto aplaudidas muitas das intervenções decisivas que fez em termos profissionais.

Em 1993, a comunidade que serviu prestou-lhe a justa e devida homenagem, reconhecendo publicamente a sua dedicação abnegada, e a então Junta de Freguesia de Pocariça e a Câmara Municipal de Cantanhede atribuíram o seu nome à rua onde viveu desde que se mudou para o concelho, na Pocariça, em cujo cemitério se encontra agora sepultada.



 

fonte: GIRP   4 julho 2019

Enviar por email Bookmark and Share
Notícias Relacionadas
sem registos.

Município

Concelho

Turismo

Notícias
 
Agenda
 
Entidades
 
Documentação
 
Contactos
 

Serviços Online