Skip Navigation Links
Início
Contactos
Skip Navigation LinksInicio > Município  
Presidente
Dr.ª Maria Helena Rosa de Teodósio e Cruz Gomes de Oliveira

presidente@cm-cantanhede.pt

Prevenção do Coronavírus
Responsabilidade individual e desígnio coletivo

Cara Munícipe, caro Munícipe

O surto viral de Coronavírus (Covid - 19) confronta-nos com um teste à nossa capacidade de resiliência perante uma ameaça de consequências ainda imprevisíveis e que esperamos não venha a atingir os contornos dramáticos que já atingiu noutros países. Para isso, precisamos ser efetivamente resilientes, resilientes no sentido de sabermos lidar com o problema e nos adaptarmos às mudanças que ele impõe, tendo sempre a consciência de que esta é uma condição indispensável para o podermos ultrapassar com sucesso.

Mudança e adaptação às exigências determinadas pelas difíceis circunstâncias que afetam o país é uma obrigação que todos temos de ter bem presente nas várias facetas do nosso quotidiano e que precisamos aplicar nas diferentes realidades com que lidamos diariamente.

Do ponto de vista individual, o que está a ser posto à prova é o civismo relativamente aos deveres de cidadania, uma prova que só será superada com êxito se cada um em particular e todos em geral soubermos abraçar o desígnio do bem comum, evitando o mais possível os comportamentos de risco de contágio do Coronavírus e cumprindo integralmente as normas de prevenção recomendadas pelas autoridades de saúde.

Por outro lado, também as entidades públicas e as empresas não podem deixar de estar mobilizadas em torno desse desígnio, o que implica a adoção de soluções de organização do trabalho que comportem medidas preventivas tendentes a diminuir tanto quanto possível os contactos entre as pessoas e a mitigar os riscos de contágio.

Foi isso o que fez o Município de Cantanhede, nomeadamente com o encerramento dos balcões de atendimento presencial, mantendo no entanto os serviços a funcionar e a dar resposta às solicitações quer através de telefone ou email, quer no balcão virtual (https://servicosonline.cm-cantanhede.pt), onde podem ser resolvidas situações relacionadas com Urbanismo, Reabilitação Urbana, Inspeções e Certificações, Ocupação de Espaço Público e Publicidade e Proteção Civil e Gestão Florestal, entre outras.

Paralelamente foram colocados em regime de teletrabalho os funcionários cujas funções o permitem e constituíram-se equipas mais reduzidas nos setores em que isso não era possível, promovendo a rotatividade destas equipas por períodos adequados às circunstâncias. Noutra vertente, foram fechadas as feiras e mercados semanais, encerraram-se equipamentos coletivos e instalações municipais, suspenderam-se eventos e outras realizações, anularam-se todos os serviços dos autocarros da autarquia, quer os marcados para iniciativas camarárias quer os pedidos por instituições do concelho, e desencadearam-se mecanismos para ser feita a higienização regular de espaços públicos de maior afluência no concelho.

Do ponto de vista da prevenção, o Município de Cantanhede fez efetivamente tudo o que tinha a fazer para mitigar a propagação do Coronavírus, mas é evidente que não podia ficar indiferente ao impacto social e económico da situação que estamos a viver. Por isso mesmo, desde que deflagrou esta terrível crise, a Câmara Municipal tem-se concentrado também em encontrar soluções para diluir esse impacto de modo a que ele seja o menor possível na vida da nossa comunidade.

Neste âmbito, preocupámo-nos em atender à situação dos idosos que precisam de ficar em isolamento, muito particularmente os que não dispõem de suporte familiar, para os quais foi criada uma resposta para assegurar o transporte de medicamentos, alimentos e outros produtos de primeira necessidade. Estou bem ciente de que a autarquia tem especiais obrigações em cuidar desse setor da população bastante mais vulnerável no contexto que estamos a viver, pelo que está já no terreno uma equipa a operacionalizar a entrega dos bens com o apoio das juntas de freguesia, postos de enfermagem, IPSS, GNR e outras entidades, a quem agradeço desde já a preciosa colaboração que têm prestado ao Município nesse domínio e também na implementação das recomendações das autoridades de saúde.

Ainda no âmbito da intervenção social, a Câmara Municipal, em articulação com os agrupamentos de escolas, está a assegurar o fornecimento de refeições a alunos beneficiários de apoio social integrados no Escalão A e cujas famílias tenham manifestado essa necessidade. O objetivo é proceder à entrega domiciliária dessas refeições, no sentido garantir a prevenção face aos riscos a que as crianças de outro modo ficariam expostas, providenciando-lhes assim alimentação nesta fase de maiores dificuldades para os seus agregados familiares.

Outra questão que me preocupa muito é a que tem a ver com o impacto do surto epidemiológico nas empresas, também elas confrontadas com a necessidade de reduzirem a força de trabalho e, em função disso, a sua atividade, com todas as consequências que isso acarreta do ponto de vista económico e financeiro. É por estar consciente da gravidade dessas consequências que decidi antecipar os pagamentos dos bens adquiridos e dos serviços executados para a Câmara Municipal, pagamentos esses que vão ser efetivados de imediato, independentemente dos prazos contratualizados, ainda que as atuais limitações dos respetivos serviços em matéria de recursos humanos possam atrasar um pouco o processo. Esta medida não será certamente a solução para todos os problemas que se adivinham para os agentes económicos, mas acredito que servirá pelo menos para ajudar algumas empresas a enfrentarem este período inesperadamente difícil que estamos a viver.

A minha última nota é para realçar de novo a importância das pessoas e das famílias enquanto primeiros agentes de proteção civil a quem cabe a missão de proteger todos quantos fazem parte do agregado familiar e colaborar ativamente com as autoridades e agentes de proteção civil, no respeito pelas normas de segurança e na adoção de comportamentos consentâneos com as recomendações das autoridades de saúde.

Por aquilo que podemos avaliar desde que o Coronavírus atingiu Portugal, a população do concelho de Cantanhede tem agido em conformidade com essas recomendações e eu estou certa de que vai acentuar ainda mais os cuidados para fazer face à expetável agudização da epidemia.

Sou, sempre fui, uma mulher de fé, uma fé que me leva a acreditar que vamos superar este sobressalto que mantém a nossa vida um pouco em suspenso por um certo período, confiando que no final vamos todos ficar mais fortes e mais unidos em torno daquilo que é verdadeiramente importante para o futuro das nossas famílias e da nossa comunidade.


Um abraço amigo da

 
(Helena Teodósio)
 



Município

Concelho

Turismo

Notícias
 
Agenda
 
Entidades
 
Documentação
 
Contactos
 

Serviços Online